Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




No mês de outubro, as Bibliotecas Escolares propuseram que os alunos elaborassem uma história sobre uma bruxinha ou uma receita em que esta criava um prato para um Concurso de Culinária . Só que ela tinha tanto de esperta como de preguiçosa!

Podiam pedir a colaboração dos pais para escrever e ilustrar a história e/ou a receita.

 

 Os melhores trabalhos foram expostos nas Bibliotecas Escolares e ,só agora, conseguimos divulgá-los através do blogue.

 

Os trabalhos do pré-escolar, em articulação com a família: 

                                                                                                                

 Diogo Vieira, JI Varziela, sala 2

 

 

 


 

        

 

 

 

A Bruxa Mimi do JI Varziela, sala 2

 

 

A Bruxa Zita do JI de Varziela, sala 2

 

 

 

 

 

Trabalhos do 1º ciclo:

 

Margarida Teixeira Gonçalves, nº17, turma 8, EB de Felgueiras

 

 

 

 

 

João Miguel, 3º ano, turma 8, EB de Felgueiras

 

 

 

 

 

 

 

Trabalhos de 2º ciclo:

 

Nuno, nº 22, 5º I

 

A BRUXA PREGUIÇOSA

 

   Era uma vez uma bruxa muito preguiçosa, mas que gostava de cozinhar.

   Um dia, quando passeava na rua, viu o panfleto de um concurso de culinária: o “abracadabra”. Estavam abertas as inscrições.

   - Finalmente estão abertas as inscrições! Vou-me inscrever já.

   Quando chegou a casa, começou a matutar…

   - Que receita irei fazer? Já sei! Vou pedir uma receita à minha avó, ela tem umas receitas muito boas. Mas ela mora no outro lado da cidade… É melhor fazer uma das minhas!

   Procurou e encontrou esta:

 

ALFORRECA GRELHADA

INGREDIENTES

- 1 língua de águia

- Tripas de 1 sapo

-5 patas de rato

-2 asas de mosca

-3 olhos de porco

- 5 gr  de sangue de cobra em pó

-1 alforreca

- 1 litro de água da fossa

Preparação

 

Ponha a água da fossa no caldeirão a ferver. Entretanto, frite a língua de águia e, com ela, os olhos de porco. Quando começarem a piscar, junte-os no caldeirão da água da fossa, depois mexa muito bem.

Quando começar a vir aquele cheirinho de água da fossa a ferver, coza a alforreca no mesmo caldeirão. Quando sair muito fumo azul (convém saber as cores), faça uma trança com as tripas e atire-as para cozinhar no mesmo caldo. Quando a comida parecer congelada, cuspa lá para dentro e mexa bem.

Finalmente, tire tudo e ponha numa travessa. Coloque os olhos, as tripas e a língua dentro da alforreca, polvilhe a alforreca com o sangue de cobra em pó, as asas de mosca e as patas de rato. Sirva quente.

 

Sugestão: deite a água da fossa que sobrou num copo e espirre para lá.

 

   - Mas eu não tenho esses ingredientes todos! Só a alforreca e a mercearia fica do outro lado da rua! Se calhar serve língua de galinha, vou pôr isso! Mas também não tenho olhos de porco, meto olhos de vaca, também deve servir! Mas só tenho dois, afinal mais olho menos olho é tudo igual… E a água da fossa, se calhar vou buscar água da sanita e vou pô-la no caldeirão a ferver. Entretanto penso como faço para tratar do problema das tripas… Já sei! Vou pedir à minha vizinha, ela tem alguns sapos e tiro-lhes as tripas.

   E lá vai ela à vizinha. Bate à porta e a vizinha abre.

   -Olá!

   - Olá! Por acaso tens meio sapo que me dês?

   -Sim. Aqui está.

   -Obrigada.

   -De nada.

   Ela volta a casa e apercebe-se que só trouxe meio sapo e na receita dizia um.

   -E agora o que faço? Se calhar não faz mal levar só metade das tripas! Já está a sair fumo azul, tenho que cuspir lá para dentro.

   -Agora tenho que mexer bem e tirar para uma travessa, e como não tenho asas de mosca e está aqui uma mosca a aborrecer-me, vou matar esta e tirar-lhe as asas.

   Ela tira-lhe as asas e crava-as em cima da alforreca.

   -Como não tenho sangue de cobra em pó, ponho sangue líquido.

   Passada meia hora, a alforreca fica pronta.

   - Huuum! Que maravilha! Agora que a alforreca está pronta, vou levá-la para o concurso. Depois é só esperar pelo resultado! Com certeza vou ser a vencedora!

 

FIM

 

 

 

 

Juliana Leite, nº16, 5º I

 

 

RECEITA DA BRUXA PREGUIÇOSA

 

   Era uma vez uma bruxa que queria fazer uma sopa de abóbora, mas não tinha todos os ingredientes necessários, então, lembrou-se da sua amiga Julieta que tinha sempre tudo o que ela queria, por isso, foi até a casa da sua amiga.

   - Olá! Bom dia!

   - Olá! Está tudo bem?

   - Sim. Queria pedir-te se me davas 5 sardinhas, sal, 4 ovos de pata e 4 ovos de galinha.

   - Tens aqui.

   - Obrigada.

   E lá foi a bruxa para casa fazer a sopa, pois agora já tinha todos os ingredientes que precisava. Quando chegou a casa começou a ler a receita para fazer a sopa.

 

Sopa de abóbora com restos de animais

INGREDIENTES   

 

      Água q.b.

      1 balde de terra

      1 abóbora

      1 c. de sal

      5 orelhas de porco

      5 cabeças de sardinha

      1 pata e 1 galinha

      1 asa de pato e de 1 galinha

      4 ovos de pata e 4 de galinha

 

PREPARAÇÃO

 

Encha um caldeirão de água e ponha-o ao lume, quando a água estiver a ferver deite o balde de terra e mexa tudo muito bem. A seguir, deite a abóbora aos pedaços e deixe cozer 3 minutos. De seguida, deite o sal e torne a mexer. Quando estiver pronto, corte as orelhas de porco aos pedaços e deite também as cabeças de sardinha. No fim de tudo deite o pato, a galinha, as asas de pato e de galinha, os 4 ovos de pata e de galinha e, finalmente, mexa e sirva ainda quente.

 

   Quando acabou de fazer a sopa, foi-se vestir convenientemente para que os convidados não se assustassem. De repente, bateram à porta.

   - Truz! Truz!

   - Quem é?

   - Somos nós, os seus convidados.

   Então a bruxa foi abrir a porta.

   - Olá. Boa tarde. Podem entrar e sentar-se.

   Enquanto as pessoas se sentavam, a bruxa foi tirar a sopa. Serviu-a a cada um, e estes, então, começaram a saborear a receita da bruxa.

   - Que sopa horrível! Nunca mais venho comer aqui! Você não sabe mesmo fazer nada de jeito para comer!

   Os convidados levantam-se da mesa, abrem a porta e saem de lá a correr para as suas próprias casas. Quando eles se foram embora, a bruxa começou a rir-se.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)



Atalhos Rápidos






Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D